quarta-feira, 29 de julho de 2015

Sobre a dor de te querer

O problema é que poxa eu queria ver o seu sorriso mais vezes. Eu queria ser o motivo do seu sorriso. E caramba, eu tenho tanto pra poetizar sobre você. Eu ainda quero escrever sobre a forma como você poderia me acordar com beijos. Eu quero que todos saibam meus sentimentos quando seguro a sua mão. Talvez você não entenda nada disso, então olha bem no fundo desses meus olhos molhados e entende que eu nao queria. Eu juro. Se tivessem me dito que eu tinha a opção de me apaixonar por você ou me jogar da ponte rio-Niterói, eu juro que me jogaria. Certeza que a perda seria menor e a dor, não existiria essa dor.
Eu quero arrancar esse sentimento, rasgar a carne, remover todas as células que você atacou com esse sorriso lindo. Eu estou infectada, é pior que câncer. E ainda pior é que a única cura está naquilo que mais me faz mal: Você. Entra por essa porta, invade meu quarto, pula a janela. Faz qualquer gesto louco. Faça o mínimo gesto pra não me perder como você está prestes a fazer. Eu não gosto de ter sentimentos, rapaz. Eu não sou boa com eles. Eu amasso, saio correndo, eu não sirvo pra isso. Eu tentei e todas as vezes, só errei. Então eu vou sentir muito hoje, vou me afogar em lágrimas e depois vou te deixar ir pra sempre.
Se você quiser ir, pode ir. A porta está aberta. Mas eu preciso aprender a não ter todos esses sentimentos por você porque eu simplesmente não consigo mais. Eu preciso de certezas e você só me enche de mais dúvidas. Eu preciso de carinho e só recebo uma ventania gelada do seu lado. O problema não é você não me querer mais, o problema é que em algum momento eu senti que você me queria. E eu me prendi tão forte nesse mínimo que achei que seria o bastante. Mas não é. Eu não gosto do pouco e do que ele me proporciona. Então, se você ainda quiser, eu estou aqui. Por favor, não seja que nem os outros que só me quiseram quando eu não podia aguentar mais. Por favor, traga esse teu olhar ilumina meu dia. Venha sem medos e sem amarras do passado. Venha com vontade de amar e ser amado. Venha pronto pra um sentimento tão grande que você nunca imaginaria que era possível ser querido com tanta força. Mas venha.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Sobre medo, desapego e coisas que já nem entendo

Andei distraída, perdida e angustiada. Deitei por horas em posição fetal tentando achar algum sentindo pro que eu andava sentindo. Óbvio, não encontrei. Abri a gaveta onde escondo meus medos e decepções mais profundos. Não havia mais nada. Roubaram o que me prendia na frieza. Não há mais motivos para esconder e renegar o que sinto. Me libertaram e não sei como conviver com essa liberdade. Levaram meu peso e deixaram meus sonhos. E eu não sei como seguir esse caminho que sempre me fora desconhecido. Hey, você que sempre se arriscou e perdoou com a alma quem um dia lhe fez mal, se eu for pelas curvas dessa estrada, quanto tempo demora pra me tornar aquela de antes?
Eu não quero viver sem dor. Não há como viver sem medo entre uma geração de medrosos de carteirinha. Todos do meu convívio evitam se relacionar, todos continuando mantendo suas cicatrizes expostas e afirmam "sou assim. Não vou mudar!". Como crianças mimadas que caíram, arranharam o joelho e não querem mais brincar. São tempos difíceis para os sonhares, mas ainda mais difíceis para os de coração aberto.
Traz o café, cigarro, talvez um álcool e bastante calmante. É isso que eles andam usando e parecem encontrar uma tal felicidade que por aqui não existem. Se desapegaram dos encontros de alma e se encontraram no apego aos vícios. Fogem da loucura sentimental pra encontrar uma paz entre conteúdos ilícitos. Pra que misturar paixão quando se envolvem com apenas corpos vazios?
Eu não quero essa falta de profundidade, essa incerteza, do tchau que deveria ser até semana que vem e dura meses. Esse pouco não me basta. Eu quero o muito que ninguém mais quer ter. Eu quero o "senti saudades". Me desespero com um "como foi seu dia?". Se disser "queria você aqui", me derreto. "Estive pensando em você", me entrego. Eu sei que quando nos magoamos, dói pra caramba. Mas nada, e repito: N-A-D-A, supera a reciprocidade.
Ao invés de se esconder em bares noturnos e se perder em bocas desconhecidas, a vida fica ainda mais bonita ao se reconhecer nos olhos lindos e provocar o mais belo dos sorrisos

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Malas prontas.

Olha bem, eu tô indo embora. Eu vou pegar o primeiro avião pra qualquer lugar que seja longe o suficiente de você. Não há mais motivos pra que eu continue aqui. Nada que me prende. Nem o seu sorriso meio bobo pode fazer isso por mim agora. Eu estou pegando a rota reversa, nada de ir direto pros seus braços. Eu vou pro mundo. Eu vou pra onde seu beijo não consiga me alcançar. E esse é o meu adeus.
Eu deixei claro que era pra você cuidar de mim caso quisesse que eu ficasse. Mas você fez o contrário. E eu sei que pode funcionar pra outra garota, mas eu não curto ser tratada da maneira como você o faz. Quero carinho. Quero beijo. Quero um "saudades suas", ou um "estive pensando em você". Qualquer coisa que faça com que eu me sinta ainda especial. Pode mentir, se for o caso. Só que isso de ser distante e me tratar mal, eu já permiti quando tinha 13 anos e todos eram uns babacas. Acho que 10 anos depois eu já superei e não vai ser esse teu jeito meio estupido que mudará isto.
Tô indo embora que a estrada do seu lado parecia até doce, mas percebi que era apenas enganação. O outro caminho não vai ter você e teu corpo que encaixa no meu, mas com certeza vai ter um pouco de amor próprio. Deve ser isso que anda me faltando e por isso estou aceitando tão pouco de uma pessoa que tinha tudo pra ser meu bem querer, mas prefere ser somente nada. Estou indo porque o seu mar é muito raso e eu sou imensidão. Quero sentimentos profundos, quero certeza, quero um pouco de tudo. Poderia ter sido belo e romântico, como uma daquelas histórias que lemos sobre amor que nasce nos lugares mais improváveis. Mas você decidiu virar apenas mais uma estatística. Pra mim, isso não é o suficiente.
Se fosse pra ser somente o que somos agora, eu talvez não tivesse escolhido você. Ficaria com alguém de sorriso feio, olhar vazio e abraço nada aconchegante. Mas você me conquistou das maneiras que eu pensei "ninguém mais pode mexer comigo deste jeito". Veja bem, não me arrependo de nada! Adoro seu beijo, o jeito como nossos momentos conseguem ser sempre melhores que o esperado. Mas a minha mala já está pronta pra seguir viagem. Eu peguei cada uma das borboletas que você me faz sentir e as embalei em plástico bolha, estão bem protegidas. Porque, vai que numa das estradas da vida, você chega com esse seu jeito tudo que eu sempre quis e me ganha outra vez. E decide se entregar por inteiro.
Eu sei que você está vendo a porta aberta pra quando você quiser chegar. Mas entra de uma vez e pega seu lugar, ou poderá ser tarde e ter um cadeado no lugar. Eu já comprei minha passagem, a decisão agora é sua: Vem comigo ou vou embora?

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Não quero ser sua namorada.

Namorado não é um termo eterno. Óbvio que existem casais namorados de 80 anos, casais com 50 anos de casados que ainda se tratam como jovens namoradinhos. Mas existem namorados passageiros. Existem namoricos e, atualmente, pessoas que simplesmente "apenas ficamos um tempo juntos". Com namorados, você segura a mão pra atravessar a rua. Com o amor da sua vida, você segura a mão pra atravessar o mundo. Namorados vêm e vão, você nem lembra mais com que idade ficaram juntos pela primeira vez. Com quem você quer passar o resto do seus dias, é capaz de lembrar a data certa. Eu diria que até a hora, se você for tão detalhista quanto eu.
Relacionamentos são complicados e não me diga que o seu não é. São tantas questões: tempo, dinheiro, distância, brigas, ciúmes, trabalho, família... Eu diria que é impossível passar por um relacionamento sem se perguntar "O que devemos fazer agora?". Se você nunca passou por isso, vai passar. E se acha que não, reveja se está no lugar certo com a pessoa certa. Não há uma receita certa para passar por todos esses argumentos e continuar sorrindo. Pode ser que, uma hora, uma das palavras antes citadas se torne um iceberg, impossível de atravessar. As vezes, a vontade e o querer não são o suficientes para aguentar todas as questões. Pode não depender só de você.
Eu sou o tipo de pessoa que não ignora um problema e passa por cima. Não gosto de deixar coisas não ditas, por isso acabo falando demais. Mas se eu quero estar 100% com você, você precisa saber 100% do que eu sinto em relação as coisas que acontecem. Eu não quero estar do seu lado como apenas sua namorada. Quero passar por todos os problemas, esmagando-os, transformando em pó.
Quero ser mais do que sua namorada. Quero ser aquela que vai ouvir e ficar em silêncio, pois sei que o que você precisa é desabafar. Mas saberei quando você precisa dos meus conselhos, e te darei, mesmo sabendo que você é tão teimoso quanto eu e que isso não importa, você sempre faz o que decide por si só. Eu quero ser aquela que vai sentar ao seu lado no cinema no sábado. No ano que vem. Na próxima década. Quem vai discutir sobre a escolha do filme e sobre preferir ter ficado em casa, embaixo das cobertas. Quem vai te dar o melhor beijo de bom dia do mundo. Quem vai te fazer querer ficar por outro beijo. E por outra carícia. E você vai acabar querendo ficar.
Namorada é uma palavra muito forte pra todas as coisas que eu quero ser. A mais importante é que eu quero ser sua. Em todos os sentidos. Quero que encontre em mim sua melhor amiga, melhor amante, melhor colo, melhor apoio. Quero ser a sua líder de torcida favorita. Quero ter, ao menos, uma comida que você diga que não há igual no mundo. Quero ser a que você lembra ao ouvir alguma música mais romântica. Quero ser aquela dos cachos que você gosta de passear os dedos. Quero ser aquela que te faz ficar só com o olhar.
Não me faça a sua namorada. Me faça a mulher da sua vida.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Carta IV (Jaaneman)

JAANEMAN (exp.); em urdu/hindi: lit. “minha alma”. expressão utilizada para designar uma pessoa amada, uma pessoa querida.

De tudo, ao meu amor serei fiel. Que ele saiba que existem opções diversas no mundo e me encontrei nele. Que ele saiba que sou livre, mas prefiro me agarrar aos seus braços. Que o mundo inteiro possa ver que somos felizes com confiança e a certeza de que nossos beijos pertencem um ao outro. Quero dar a pureza do meu amor mais intenso, o andar de mãos dadas mais lindo e uma coberta de sentimentos puros para nos aquecer no frio que se aproxima. De tudo, quero dar-lhe o máximo. Quero encarar seus olhos e ver nosso futuro. Quero beijar seu lábios e sentir sua alma. Deitar em seu colo, acariciar seus cabelos e lhe dizer o quanto o amo.
 Não quero me perder em festas, bares, discotecas e corpos desnudos. Quero me encontrar em cada esquina que cruzamos juntos. Reverenciar o sol por manter tua pele aquecida, quando estou distante. Agradecer o destino por ter unido nossos caminhos. E ser amigável com seus pais, que trouxeram ao mundo meu maior querer. De todos os amores, a ti serei meu verdadeiro eu. Me entregarei sem receios, sem dores, sem as tristezas que outrora me ocorreram.
 Sou toda minha, mas me entrego nas tuas mãos. Não me agarrarei feito criança ao medo da dor. Cairemos juntos, passaremos por sofrimentos juntos. E continuaremos. Juntos. Toma conta do meu sorriso mais sincero, faça dele presença constante nos nossos dias. Me traga seus ciúmes sem excessos. Encare meus olhos com esses teus olhos profundos de cor castanha. Deixe nossas almas conversarem, deixe nossos corpos conversarem, assim vamos sempre nos entender.
 No fim de tudo, quando o dia acabar, quero encontrar tua carícia, tua fala, tua presença. Quero te dar meus ouvidos, consolos, amor e paixão. Venha que tenho pressa, que a pizza está esfriando, que o vinho nos espera e o filme irá começar. Rode o mundo e volte pra mim. Rodarei a vida e voltarei pra ti. Como dois pássaros que buscam o norte quando inverno chegar, quero ser teu lugar de pouso, e vivermos em um ninho de amor. Só nós. Nos unindo em um.

domingo, 12 de julho de 2015

Carta III (Me ganhe de uma vez)

E me ganha e me perde. E ganha outra vez. E me vê indo embora.Então traz esse teu sorriso e, sem perceber, me leva direto pros seus braços outra vez. De onde vem esse poder que você tem sobre mim? Que tipo de feitiço foi esse que você fez para que eu voltasse todas as vezes, mesmo depois de dizer que não quero mais? A mágica está nos seus lábios ou nesse seu olhar? Eu tento entender o que nós somos e tudo o que eu consigo saber é que eu quero que você seja meu. Você quer me fazer sua? Porque se quiser, eu pego o primeiro táxi e bato direto na sua porta. Com flores e chocolate. Usando frases clichês que qualquer filme água com açúcar teria inveja. Se disser que sim, vai ganhar meus melhores beijos. Todos os beijos apaixonados que estou guardando para a hora que você me chamar. Se disser que sim, terá a certeza de uma companhia que ás vezes pode ser um tanto irritante, mas que sabe pedir desculpas e te dar o cafuné perfeito pra tudo ficar bem. Se disser que sim, menino, vou fazer de tudo para os seus melhores dias sejam todos os dias da sua vida.
Não me perde desta vez. Eu não quero que você me perca. Não quero ver que já não tenho mais forças para insistir nesse relacionamento que eu sei que só existe na minha cabeça, porém seria o melhor relacionamento se você conseguisse ver exatamente do jeito que eu vejo. E crio frases enormes, sem pontuação, porque meu sentimento não tem pausa. Não paro pra respirar enquanto planejo todas as conversas que nunca tivemos e provavelmente nem iremos ter. Você me trouxe inspiração, coloriu meus dias, me faz sorrir só de lembrar da sua voz. Isso não é pouca coisa, meu bem. Muita gente antes de você não conseguiu nem ser parte do meu pensamento durante o dia. E eu não quero que haja um alguém depois de você. Não agora. Quero você. Por hoje. E por amanhã. Depois podemos ver como vai ser.
Eu deveria ter pego a curva e não seguido nessa estrada que me leva diretamente pra você. Todas as malditas vezes. É você em cada música. É você em cada palavra dos meus textos. É você em cada lágrima que não derramo. É você em cada doçura que penso mas não falo. Seria mais fácil se você não tivesse o cabelo bagunçado e um sorriso tão lindo. Seria mais fácil se teu beijo não encaixasse da forma que encaixa. Seria mais fácil se deitar no seu peito não fosse uma das melhores sensações. Mas é difícil. É você, em todas as formas e vontades que me cercam. E eu me sinto estúpida por te ver seguindo outras direções enquanto eu continuo parada, esperando a sua chamada.
Não me perde desta vez. Não perceba que eu posso te fazer feliz quando eu já tiver ido embora. Não tente jogar esse jogo de se manter distante porque assim me ganharia mais fácil. Eu sou o contrário. Quanto mais distante e menor interesse, mais rápido eu vou embora. Vem! Me ganha de uma vez! Não me deixa nesse meio termo. Me toma pelas mãos. Mostra pro mundo que estamos os dois aqui, e somos só nós dois. Que eu quero sua companhia e você quer meu suporte. Que juntos somos fortes. E que podemos ser muito mais. Estarei a sua espera, num vestido acinturado, cabelos cacheados cor-de-fogo ao vento, saudades dos seus beijos, provavelmente dançando, e com uma dezena de coisas apaixonadas pra te falar.

(Mas vem rápido!)

sábado, 11 de julho de 2015

Carta II (Entristeço de Saudade)

Se não fosse pelas nossas conversas e pelas fotos que guardo, já teria enlouquecido de saudades. A lembrança do seu beijo quase me tira o foco. Quero ficar um dia inteiro nos seus braços. Sentir teu cheiro, e me entorpecer com ele. Deitar do seu lado e analisar as linhas do seu rosto. Quero ser sua, beijar-te, entrelaçar nossas mãos. Esquecer que há um mundo todo lá fora e fazer da sua cama de solteiro o nosso templo. Quero fazer dos teus olhos a imensidão que admiro. Me faça seu bem, seu amor. Me encha com as únicas carícias que quero sentir. Vem que tenho pressa pra sermos um do outro.
Vem que a saudade tem preenchido espaço, fechado as janelas, e me prendido nesse quarto escuro. Traz esse teu sorriso pra iluminar todos os cantos e se vista como meu salvador. Me puxa pra dançar, faremos piruetas e cairemos exaustos. Vem que quero ter conversas profundas e falar sobre bobeiras. Quero saber seu signo e sua opinião sobre assuntos polêmicos. Falar sobre a programação da tv e decidirmos o que veremos no Netflix. Discutir besteiras e fazer piada da seriedade dos outros adultos. Voltar a ser a menina de 12 anos que se apaixona pela primeira vez e fica cacheando o cabelo por você me deixar sem graça. Fazer você voltar a se sentir como na sua primeira paixão e trazer arrepios em momentos inesperados.
Me dê uma chance de me desfazer dessa saudade que eu pego detalhes para me prender caso fiquemos tanto tempo assim sem nos vermos outra vez. Me chame uma vez, e estarei no primeiro ônibus em questão de segundos. Vamos sair para jantar, para comer, para olhar os pombos na praça. Mas vamos nos ver. Preciso te entregar todos os beijos apaixonados que estou guardando. Preciso te mostrar que o mundo cabe sim em um abraço. Vamos deitar em campo aberto e admirar as estrelas. Se você ainda não souber, te conto agora: Se aparecer alguma estrela cadente, meu pedido é você.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Carta I (Não permita que seja nosso adeus.)


Quero arrancar esse band-aid de vez. Deixar a dor rasgar minha pele, encarar meu medo de sofrer e não tentar me apegar a todos os detalhes seus que eu tanto gosto. Se começar meu percurso agora, até o verão estarei bem por completo outra vez. Eu estive aqui por todos esses dias esperando você vir uma única vez. Coloquei meu vestido mais bonito e esperei junto a sua sacada. E você nunca apareceu na janela ou me chamou pra entrar. Pra pegar uma cadeira e acompanhar sua vida de perto. Tenho visto sua vida por fotos e pequenos comentários sobre assuntos bobos. Nunca um "como foi seu dia?". Ou até um "sinto sua falta". Mas eu sei que a culpa não é sua de não sentir o mesmo por mim. Na verdade, você me avisou que não ia querer esse tipo de relacionamento que temos somente na minha mente. E é por ele só existir pra mim que eu agora te deixo ir. Vou sofrer agora que não tenho nenhuma lembrança sua para me prender.
Então, me perdoe se eu disse que não iria desistir de fazer você me perceber. Que eu ia ficar aqui na sua porta, esperando o momento que você me deixaria te fazer feliz. Mas meu sentimento precisa, pelo menos uma vez, ser alimentado. E nunca houve chama vindo da sua parte. O fogo que queimava meu coração se apagou. Eu estou aqui e estive esperando um passo seu, uma palavra, um motivo pra não desistir. Quantas vezes mais preciso me declarar pra você saber que o que eu sinto é meio bobo, meio estranho, mas real? Eu digo que tenho um certo sentimento evoluído. Não me importo com o sentimento de posse, não me importo com o fato de estarmos há quase um mês sem nos vermos. Eu só sinto. E vai crescendo em proporções absurdas, somente com a sua lembrança. Mas agora eu não posso mais deixar isso me consumir da maneira que tenho feito. Eu estou apaixonada por você, se ainda não entendeu. Só não posso mais viver sabendo que mesmo que eu grite, não haverá resposta sua.
Meu bem, ainda vou ouvir sua voz ecoando pelo meu quarto. Ainda verei seu rosto em todos os meus sonhos. Ainda esperarei sua chamada. Mas isso vai passar. Em algum momento, seu nome não será mais um corte de navalha. A lembrança de nossos corpos, não irá mais me magoar por imaginar que nunca teremos outra noite. Eu vou pegar minhas últimas lembranças de você e, como num ritual, sofrerei pela última vez. Vou chorar como você nunca me fez chorar. Pela primeira vez, derramarei algumas lágrimas pelo primeiro homem que não me magoou, mas que apenas não me queria da mesma forma como eu o quero. Será tudo extremamente respeitoso, como você sempre foi comigo. E se alguém tentar falar qualquer coisa sobre você não me merecer, eu responderei que estão errados. Você me merece, com toda certeza. Só não era o momento certo. Talvez nós ainda nos veremos num futuro próximo ou esta é apenas uma forma de eu ainda continuar presa a você. Mas de qualquer forma, estarei indo. É um belo dia. Não faz tanto frio, e usarei o sol para aquecer minha pele, exatamente como seu toque costumava me aquecer. Vou procurar seus detalhes em detalhes do meu dia. Mas não pense que estou desistindo, apenas cansei de insistir.


Com amor.
(ainda sou sua)

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Me tens.

Ele me prendeu naqueles olhos castanhos enquanto eu cheguei de mansinho. Dei o meu mais leve sorriso e fui direto aos seus braços. Entre nosso primeiro beijo, senti o cupido e seus amigos dançarem a nossa volta. E enquanto caminhávamos, consegui escutar o barulho de uma harpa, também o barulho da flecha encostando no arco. Mas não foi naquele momento que fui o alvo daquele anjo. Ele esperou. Não fez nada mesmo quando o beijo parecia ter encaixado como peça de Tetris. Não fez nada quando o toque dele arrepiou toda a minha espinha. Não fez nada quando eu fechei os olhos e me entreguei aquele desconhecido de olhos tão lindos e sorriso de menino. Como um animal que espera o momento perfeito, o Cupido não me fez de sua presa naquele dia. Mesmo eu tendo a certeza de que seria toda daquele rapaz, e não tentei fugir. Se eu fosse um pouco inteligente, não teria voltado direto pra aqueles braços. Teria arranjado uma desculpa, pego a contramão, voltado pra estaca zero. Mas algo dentro de mim queimava enquanto eu não recebia aquele beijo. E queima enquanto estou aqui esperando ele me chamar para ir ao seu encontro. Arde como o fogo do inferno no meu peito. O Cupido não vem dos céus, paixão não é divino. São ambos a forma de sermos punidos por nossos atos. Se eu tivesse sido boa, nunca teria me apaixonado por alguém que não me quer da mesma maneira. Alguém que fechou-se para o amor enquanto aqui estou, jogada aos seus pés. Esperando encontrar algum tipo de redenção quando tudo isto acabar. Mentindo que te deixei pra lá quando, com apenas um toque, me tens de volta. O Cupido não rasgou meu coração com uma flecha quando nos vimos pela primeira vez. E nem na segunda. Tenho a impressão que foi entre a terceira e a quarta. Quando você implicou comigo, quando eu achei que poderia me acostumar com o prazer que você me proporciona. Quando eu neguei outras pessoas só porque queria me sentir pura de você. Porque queria que seu toque fosse o último toque que meu corpo havia sentido. Tenho sido fiel mesmo sem motivos para esta fidelidade. Tenho sido fiel pois ainda que não sejas meu, sou tua. Tens meu coração, meus lábios, meu corpo, minha vontade. Quando fui flechada, estava admirando a pessoa que és. Ignoro o corpo que tens ou teus bens, me importo unicamente com o que me faz sentir quando estamos juntos. E o que me faz sentir enquanto espero ser convidada para passear ao teu lado. Talvez a dificuldade de te fazer meu aumente a minha vontade de conquistar. Mas com certeza não chega nem perto da vontade que tenho de lhe fazer feliz. Deixa que o mesmo cupido te acerte, e tatue meu nome por todo teu coração. Eu refaço o curativo e te dou os motivos para ficar. Se você me permitir, posso te mostrar todos os lados bons desse sentimento que tendes a evitar. Se você me permitir, te mostro como é bom amar.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Por que você?

"Então, por que eu?"


Ah, menino. Tem tantos motivos. Tem esse teu sorriso tão lindo, que faz meu coração parar de bater por alguns segundos e depois voltar ainda mais forte. Tem esses teus olhos que eu gosto de ver o mundo por eles. Uma profundeza castanha que está pronta pra descobrir as belezas do mundo. Também pode ser pela forma como você fala empolgado das coisas que gosta e a minha vontade de ser um pequeno motivo pra sua empolgação. Tem também o jeito que você tira a camisa quando chega em casa, e leva meus sentidos todos pra você. Tem a maneira como presta atenção em mim e na rua. Pode ser esse teu beijo que me encanta e me faz querer ficar, mesmo meu cérebro avisando que eu deveria ir embora. Você tem todos os sinais de ser aquilo que eu deveria evitar, mas ainda sim eu quero correr o risco.
Eu não tenho nem como explicar essa minha vontade de segurar a tua mão. De ir ao cinema. De vestir minha melhor roupa e ir ao seu encontro. De querer aprender tudo o que você deseja para me tornar essa mulher. Mas talvez seja a forma como você segura meu corpo junto ao teu. Como me olha enquanto te dou prazer. Como sorri ao me sentir. Como demonstra satisfação ao me ver nas tuas mãos. Eu tenho tantos motivos pra estar me entregando desta maneira a você. Quer mesmo saber todas?
É o seu jeito de falar do seu dia. É a sua dedicação em se tornar melhor. É o seu gosto por pizza de calabresa e guaraná. É o fato de você ter me beijado direto na primeira vez que nos vimos. É o respeito que você tem. É como come com colher e usou os princípios básicos de marketing pra me convencer que estava fazendo o certo. É a forma como assiste concentrado aos vídeos. É a forma como sempre tem algo inteligente, algo que eu acho interessante, para falar. Como joga videogame comigo e a implicância é boa, não aquela chata que me irrita e me faz querer ir embora. Mas com você eu só quero ficar. Pra uma revanche, outra partida, te mostrar que posso ser melhor. Ser tudo aquilo que você sempre quis. Pode ser também nossos toques iguais. Pode ser seu personagem favorito. Pode ser qualquer um desses motivos tão bobos e que ainda sim fazem com que eu sinta vontade de voltar.
Se fosse só seu físico, eu já teria me esquivado das flechas do Cupido. Mas é muito mais. É tudo o que você me faz sentir. É tudo o que eu quero sentir ainda. Se fosse só seu corpo, eu deitaria no seu peito e não sentiria nenhuma dessas borboletas que fazem uma dança acrobática no meu estômago. Se fosse só pela tua força, eu não ficaria tão nervosa e demoraria horas pra me arrumar caso tivesse a oportunidade de te encontrar. Se fosse só pela definição, eu não gravaria teus movimentos e falas, não te daria tantos beijos antes de ir embora. Não insistiria, não estaria poetizando cada um dos seus movimentos. É muito mais do que o seu corpo poderia me oferecer. É o que meu coração que te fazer sentir.
É somente por você ser exatamente assim como você pode ser: Tudo que eu sempre quis.

terça-feira, 7 de julho de 2015

A Maré e Fé. (Amar é Fé)

Eu não sei como era a sua vida antes de mim. Não tenho noção do quanto doeu quando ela abandonou o barco e você ficou no meio do mar, sem saber que direção seguir. Minha noção de dor talvez seja bem menor do que aquela que você sentiu quando a viu te superando, saindo com outras pessoas e até falando as mesmas coisas que falou pra você. Talvez tenha doído bastante prometer que ia mudar, que as coisas iam dar certo, que você podia fazer tudo ficar bem, mas não ficava pois ela não te queria mais ali. A historia de vocês havia acabado e ainda sim, você estava se apegando a todos os momentos, sentimentos, juras e promessas, que passaram juntos. Já estive na sua posição, sei que dói. Eu sei que dói tanto que essa dor nos leva pra dentro de um casulo e insistimos em nunca sair de lá. Mas olha, eu tô bem aqui na sua porta e, ou você sai por bem, ou eu vou cortar essa armadura todinha, camada por camada. E vou te mostrar que eu posso te querer tanto quanto você achou que nunca seria querido. Dá pra ouvir meu coração batendo aqui do outro lado?
Não vá por esse caminho. Eu também já evitei esse envolvimento e tudo que eu precisava era que alguém fizesse exatamente o que eu vou fazer com você: Não desistir. Você foi magoado, se apaixonou e ela te deixou. Sim, eu sei disso. Não fique magoado por eu ter descoberto sem ouvir de você, mas eu precisava saber e encontrei uma maneira. E eu vi sua dor. Vi o quanto doeu, o quanto você tentou, esperou, desejou. E ainda sim, não obteve resposta. Mas, veja bem, eu estou bem aqui, no meio de uma terça-feira fria, te escrevendo e deixando bem claro: Eu quero você. Talvez você não me queira na mesma forma, mas eu não estou nem aí. Ah, claro que eu sei que você pode me magoar a qualquer momento. Eu só não me importo. Se você quiser desistir do jogo agora, pode ir. Vai doer, mas eu estava disposta a essa dor. Todos os momentos que passamos juntos, que rimos, todos os seus beijos, valeram a pena. Por você eu voltei a sentir o que eu prometi que não sentiria mais. E fico feliz pois foi por você. A vida me deu a chance de conhecer alguém maravilhoso no meio de tanta gente que eu não aguentava mais. Isso valeu por toda a dor que você poderia me causar.
Então abre essa porta. Abre esse coração. Escancara as janelas. Rasga essas tuas roupas. Vem comigo! Eu te mostro um caminho cheio de curvas, inclinações e dúvidas. As respostas estão junto dos meus braços e lábios. Quero você aqui e agora, compartilhando dessa estrada. Dói, doeu, agora passou. Agora eu sou sua e você pode ser meu. É só, de uma vez por todas, entender que seu sofrimento não foi maior que o meu, que o do coleguinha ao lado. Acontece e pode acontecer outras vezes. Mas eu te juro, e juro bem prometido, não vou te magoar, abandonar ou deixar nosso navio naufragar. Me deixa ser a sua âncora que te mostro o amor mais puro e fiel que possa existir. Vou encher sua vida de sonhos e ainda sim manter seus pés no chão. Vamos até onde o destino quer que continuemos juntos. Ou até onde nós quisermos ficar juntos. A partir de hoje não vamos nos prender a nenhuma convenção social de amores eternos e nem vamos ouvir que a forma que nos conhecemos não vale a pena. Vamos ser só nós dois, mostrando quem somos por dentro um ao outro, e entregando o melhor que poderíamos ser neste relacionamento.
A maré está forte, as apostas estão altas. Mas eu estou segurando a sua mão e isso é a certeza que eu preciso.

sábado, 4 de julho de 2015

Tudo aquilo que eu penso ao olhar pra você

Eu te encaro enquanto você fala sobre alguma coisa que eu deveria prestar mais atenção mas eu já me perdi no formato dos seus lábios e agora não há mais volta. Quero passar minhas mãos pelo teu cabelo e pressionar nossos corpos, mas me faço de boa moça e continuo fingindo prestar atenção nas tuas palavras. Você e esse seu jeito de falar, e quando se enrola e volta, e essa mania de morder a boca. E quando se empolga? Fica animado, usa o corpo inteiro pra demonstrar. E me faz querer pular nesses teus braços fortes. Me puxa pra dançar e me conduz pela avenida que estamos agora passando. Ignora os outros, e vem comigo. Ainda não temos uma música só nossa, então vamos inventar uma agora. Feita do som dos nossos beijos, risadas e gemidos. Nosso som, o que mais ninguém terá igual e que será nosso segredo. Nosso infinito.
Você abre todas as portas, me espera passar primeiro, me faz carícias, me olha bem nos olhos. Você que tem porte de príncipe, sorriso de príncipe, e que encaixa no meu conto de fadas. Agora eu entendi porque passei por tantos vilões, porque fui magoada, porque deu errado antes. Não era pra ser. O que tem sido é você que quebrou o encanto do último antagonista. Ele havia congelado meu coração, transformou em pedra bruta de gelo, me fez odiar sentimentos. Mas chegou você, com esse sorriso de menino, derretendo e aquecendo o meu peito. Chegou você com essa mania de ser tão lindo e, mesmo que eu quisesse muito, não ia ter como fugir.
Eu ouço a sua voz e parece que eu poderia me acostumar com ela pra sempre, falando bem baixo no meu ouvido. Ou alto, ou no tom natural de conversa. Eu só quero ter você por mais um tempo. Não precisa prometer que vai ficar pra sempre. Você pode ficar por hoje, vai ficando amanhã, e eu te dou todos os dias motivos pra você continuar ficando. Quero teus beijos, todas as noites e todas as manhãs. Quero beijos roubados, sorriso entre eles, beijos entre lágrimas. Seu beijo encaixa, seu beijo me prende, seu beijo faz todos os outros beijos parecerem nada. Quero agora deitar do seu lado, ouvir sua histórias, conhecer seus medos, saber onde dói. Aprendo a massagear mais forte se quiser. Aprendo sua receita favorita. Aprendo suas cores, sabores, destinos, sonhos. Aprendo a ser a mulher da sua vida. Mas agora vou voltar a escutar suas palavras e parar de prestar atenção nas batidas do seu coração.
Você ainda falar animado sobre a sua noite. Caminha do meu lado prestando atenção no meu rosto e na rua. Me diz o melhor lugar para andar, qual velocidade devemos ir a essa hora, tomar cuidado com sua bicicleta. Se quiser, vamos subir juntos nela e fugir pelo mundo! Mas enquanto você não sabe do quanto estou apaixonada, vou continuar só dizendo que D&D é o melhor RPG. Quem sabe você decide ficar só porque podemos ser melhores juntos.