terça-feira, 27 de março de 2012

Nossas risadas.

Levanto mais cedo, e preparo o seu café - "Não tão doce!" você grita - e eu rio. Pela primeira vez tento fazer panquecas, e me sujo, e jogo farinha pra todos os lados, e meus risos aumentam de tom. Você se levanta, e ri ainda mais, e me suja com a farinha que caiu sobre a mesa, e me abraça por trás, e me beija o pescoço - "Agora não." falo manhosa - e você se senta. Você, seu olhar e seu sorriso, o trio mais maravilhoso, o que me tem feito feliz durante essas semanas. Ou seriam meses? Quem se importa? Sinto que te conheço há anos.
Meu café não é dos melhores, e eu sei disso. Mas eu sei cozinhar, e você sorri com o gosto da minha primeira vez na sua cozinha - "As primeiras vezes são inesquecíveis" "Mas as próximas serão ainda melhores" - e me desarma com cada trecho de diálogo de filme água com açúcar que eu tanto adoro. Mas você ainda não sabe disso. Ou você realmente acha que a frase com que você "me conquistou" - assumo que já estava na sua - eu já não conhecia? De Repente É Amor, não era? 
E eu rio. Rio por você ainda não conhecer nenhuma das minhas atrapalhadas manias e se divertir enquanto troco a faca de mão - "Por que você faz isso?" "Eu só sei assim, me deixa! - e outra vez rimos, como se pela primeira vez o mundo só tivesse motivos para sorrisos, e risos, e seus olhos brilhando. Rio por você me achar linda ao acordar, mal sabendo que acordo 10 minutos antes, e escovo os dentes, e arrumo o cabelo, e quero parecer uma deusa enquanto você abre os olhos. 
Você não tem nada que eu considere irresistivelmente atraente, mas esse seu sorriso junto com estes olhos, me levam a loucura. Você ri de uma das minhas piadas - completamente sem graças - e leva o que sobra de mim, já que quase tudo já está nas suas mãos. E eu já não me importo em cobrir a boca ao soltar a minha risada mais sincera, em tentar fingir que não rio como uma louca, e não ignoro mais nenhuma piadinha de humor negro - o que eu faria com qualquer outro - pois eu sei que você também vai rir. E vai entender que eu sou uma insana, louca, abismada, mas tenho humor e não faço seus dias se tornarem monótonos - como todas as outras fizeram.
É disso que você fala - e eu presto atenção em cada uma dessas suas falas sem sentido. Você reclama que não tem um ombro amigo, que ninguém é capaz de sentar pra conversar com você, que é tão raro encontrar um amigo pra desabafar suas dores, e me olha, e sorri - "Mas com você é diferente, você me entende!" - e sabe mesmo que eu entendo, compreendo e apoio. E é isto que te atrai em mim. Enquanto eu, boba, sou louca pelos seus sorriso e olhares, você, inteligente, quer alguém responsável e interessante ao seu lado.
Não sei se o que temos vai durar, se vai acontecer, se no outro final de semana ainda estarei na sua cama. Mas eu espero que seja intenso, que ainda existam risos e sorrisos para serem soltos. Você adorou minhas panquecas e eu quero que você descubra que meus doces e minha lasanha são tão bons quanto os meus amigos te falam. Você adora saber que eu te ouço, e eu quero que você aprenda que vou te ouvir e tentar te descobrir, fazer o que estiver em minhas mãos para que o seu sorriso nunca desapareça.
São apenas onze horas da manhã - sim, acabamos de acordar - e eu sei que ainda teremos muitas horas pela frente, só permita que o seu riso seja eterno.