domingo, 16 de agosto de 2009

O que sobra.

Sabe, eu andei pensando.. pra falar a verdade, não pensei nada, só gosto de textos que comecem assim porquê parece que é algo que vem do interior do escritor (ou da aspirante a escritora) e dão mais ênfase ao que vai ser relatado. Mas bem...
Eu realmente comecei a pensar enquanto escrevia o 1º paragrafo sem graça desse texto que provavelmente também é sem graça, e cheguei a uma conclusão: Hoje em dia eu não quero mais aquele que um dia me fez sofrer. Okay, vamos ser claros. Sim, eu tenho alguém (que eu amo, de verdade, por falar nisso), o que não quer dizer que eu tenha que ser completamente decidida do que irei fazer. E pra quem me conhece, decisão não é um aspecto forte da minha personalidade. Enfim, ainda restavam pequenas dúvidas dentro de mim. "E se eu não for boa o suficiente?" "E se eu fizer sofrer o cara que eu acho bom demais pra sofrer por mim?" etc, etc. Poderiamos ficar nisso o resto do texto todo, mas eu não quero.
O que sobra de um relacionamento, que bem, de verdade, nunca aconteceu, é apenas um carinho, algumas mágoas (como sempre), algumas mentiras que o tempo fez com que a verdade aparecesse, uma pequena vontade de tentar fazer dar certo. Mas de verdade, o que sobre que ninguém fala é o carinho. Quando se diz que ainda se tem carinho por alguém que já passou na sua vida, o ciúme da pessoa que agora é seu presente é tanto que você prefere fingir que isso não existe. E que me perdoem todas as pessoas com seus respectivos pares, se alguém é ex, em algum momento foi atual, e isso quer dizer que foi importante (por mais que tenha sido um grande cachorro), mas esteve do seu lado enquanto você quis.
E quando o ódio e o desejo de vingança desaparecem, você percebe que não precisa ver o/a seu/sua ex sofrer. Só precisa ser feliz. Ainda que realmente, isso faça a outra pessoa sofrer. Mas sabe, pra você, ou qualquer pessoa ser feliz, sempre vai ter que ter alguém com o coração partido (pisado, quebrado, esfaqueado, amassado, etc.)

Possessividade...

Eu fui acostumada a ser o tipo de pessoa que você "pega, mas não se apega". E de certa forma, eu adorava isso! Gostava de ser a mais desejada, a mais olhada, a mais gostosa. Eu via todos aqueles caras (e algumas vezes, gurias) querendo chegar junto, puxar assunto, pagar um bebida, me levar pra um canto, e isso me fazia me sentir querida.
Quando eu me cansava, largava, jogava fora. Sempre foi assim. Não deixava ninguém se apaixonar por mim. Algo proibido! Quando vinham com o "gosto tanto de você", era o empurrão pro meu "então, você é legal, mas quero ficar sozinha". Na verdade, isso queria dizer, "não levo jeito pra relacionamentos, e não quero sofrer again". Again... again.. maldita mania minha de usar palavras inglesas no meu dia-dia. Há! Como eu estava falando... eu usava, abusava, tinha alguns beijos quentes, e pegadas fortes. E acabava. Quando eles se sentiam tristes, solitários e querendo alguém que soubesse agrada-los, era centenas de ligações, mensagens, e-mails, janelas no msn piscando. E quase sempre, nenhuma resposta minha. É claro que eles era bons... mas... sempre faltava algo pra ter um flashback, e bem, com eles, nunca tinha o que faltava.
Então, eu decidi que não queria ter todos. Eu queria ser o todo de alguém. E queria que alguém fosse todo meu. No começo, isso parecia estranho. Eu? Queria alguém? E bem, ainda hoje é estranho. E pra isso, desisti de buscar, me matar de sofrer, e parei de quebrar a cara. Dizem que o amor vem sozinho... aparece de fininho.
E não é que é verdade? Agora nem vem, esse aqui é SÓ MEU <3

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Where is this love?

Então, era assim que acabava? Porque que quando pedimos conselhos ás pessoas elas não dizem que o amor dói, machuca e corrói? Porque elas só mostram o lado bonito? As flores, poemas e presentes? Porque elas não podem nos dizer pra tomar cuidado? Porque elas não nos contam que quando menos esperarmos o nosso coração irá quebrar? Será que é tão dificil assumir que o amor é dor?
Quando o amor acaba, você se acaba por dentro. Não, o amor dentro de você não se acaba, mas o amor da outra pessoa desaparece, se evapora. E tudo o que vocês viveram é apenas cinzas. Nada de dias ensolaradas com passeios de mãos dadas. Muito menos, ser aquecido em noites frias com o corpo da outra pessoa. É tão estranho o querer da pessoa acabar, noites solitárias voltarem a acontecer. Porquê que o querer não pode durar pra sempre? Ou até, o "pra sempre" seja mais curto do que imaginamos.
E sendo o mais sincera possível: O Amor dói! O Amor machuca! O Amor corta o coração em pedaços e o distribui em lugares de dificil acesso, ás vezes. Porém, tenho algo bom pra contar sobre o maldito amor: Ele renasce! E transforma tudo. Quando você acha que está tudo acabado, o amor reaparece, reacende a chama que se apagou no seu coração. O Amor pode salvar sua alma, pode salvar sua vida, que parecia já não ter mais sentindo...

É, não se tem mesmo como explicar o amor. Talvez, ele realmente seja feito de flores e espinhos, mel e fel, encontros e desencontros, presentes e ausências. Talvez ele seja a coisa mais injusta e ao mesmo tempo mais perfeita que possa existir. Mas é amor, e bem, sobre o amor, nada se pode dizer. <3

domingo, 9 de agosto de 2009

You keep makin' me ill +o(

Eu dei a ele o prazer de quebrar meu coração, e agora ele acha que tem o direito de querer que eu continue de certa forma presa a ele. Ele quer saber como estou, aonde estou, o que faço. Me segue, me pertuba, me enlouquece. É como se eu fosse o inseto que ele mantém preso num pote de maionese e espera eu apodrecer lá dentro, ou tentar a fuga quando ele deixa um pouco de ar entrar no pote.
Será que simplismente ele não consegue entender que o inseto que deveria exister no maldito pote não existe? Que se algum dia ele existiu, num descuido, ele fugiu dali? Meu coração não foi feito para permanercer preso recebendo pequenas doses de ar puro. Meu coração nasceu pra ser livre, pra ser cuidado, pra respirar o quanto quiser. Ninguém no mundo consegue aprisionar aqueles que tem asas. Só pessoas que sabem como cuidar e me protejer sem achar que são meus donos, podem ter meu coração. É a eles que eu me dedico. É a eles que eu dou todos os direitos alcançáveis.
Eu senti, desde principio, que eu fora a escolhida. Era a mim que ele tentaria envenenar com promessas falsas de amor. Era a mim que ele jurara quebrar o pequeno e frio coração em pedaços. Pedaços que hoje vejo que estão em perfeito estado. Pedaços que um dia me faltaram, e que hoje eu encontrei quem tinha-os. Quem realmente me completou. E sinto que isso que o magoa. Eu não estou presa a ele, e isso dói.
Imagine, você cria uma história em sua mente. Escolhe a vitima certa, uma pessoa carente que acredita em suas palavras sem pedir provas desse amor. Então você decide que será essa pessoa que estará pra sempre aos seus pés, a pessoa que irá sofrer o quanto você puder magoa-la, a pessoa que ficará presa a você até quando você quiser. Porém, um dia, você acorda e vê que essa pessoa já não chora por você, já não se desespera, já não te sente mais. Algo errado aconteceu, você falhou! O que houve de errado?
A resposta é mais que óbvia: você fez a escolha errada!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

No debes de pedir permiso para ser feliz (8'

Mas acaba valendo a pena... mesmo as coisas não tendo chegado aonde você queria que chegasse, cada segundo foi único e jamais nenhum outro será igual. Nunca se arrependa de nada, por mais que as coisas não tenham saído como planejou, por mais que tenha errado sem saber que estava errando, fosse com si mesmo ou com outros. Cada experiência é única, sendo ela boa ou ruim, sempre vai servir pra te dar lições e te ensinar como agir da próxima vez !

"Seu sorriso contagia e o principal motivo disso é a certeza de que nunca cansará de sorri!"